Sunday, July 30, 2017

E A LUZ FEZ NASCER MEU POEMA


Quando a luz se reflete nos teus olhos,
vejo o amor que tens no teu coração;
quando a luz pousa no teu sorriso,
a tua alma transparece a felicidade;
mas quanto ela mais brilha nos nossos corpos
quando nos abraçamos e o terno beijo damos!

Quando te envolves nas tuas flores e as abraças,
a luz se interioriza no teu corpo e todo é poesia florida...
e das tuas mãos,
sai a flor de luz que iluminará a paz,
e do teu coração,
o amor que esparges em teu redor.

No teu livre caminhar que percorres no tempo,
o tempo te ampara com a luz da felicidade, da alegria, do amor.
Ela te acompanha e te ilumina a caminhada
com as estrelas da esperança que vais semeando,
e do afeto que na tua vivência vais espalhando.
Essa luz que em ti brilha,
é o pouso escolhido no teu encanto: 
Esse encanto que de dentro de ti vem 
e faz cantar este meu poema,
que me faz nascer o abençoado amor,
que me faz viver a felicidade tida,
nesta vida de alegrias e dor.

Enquanto o brilho dessa luz que em ti reluz, permanecer,
brotará o fluxo de meu sentir para os meus poemas,
e então, juntos, iluminados pela luz da vida,
é razão deste nosso viver.

Valdemar Muge 

Saturday, July 08, 2017

ÁGUAS MINHAS, LEVAI...


É este o rio da minha terra,
que me ouve e suaviza;
é espelho que me vê,
que me espera e me embala.
Rio este da terra minha,
aconchego das tuas fontes,
refrigério das tuas aves,
suave frescura da minha alma.
Ó águas que ouves a paz dos corações,
e as promessas de amor;
ouves os quantos desabafos das desilusões,
das tristezas, das angústias;
que levais silêncios abraçados, os cantos ouvidos;
as palavras sentidas,
desabafos do seu povo querido.
Águas minhas levai, levai,
todo este meu sentir e na ria o guardai,
que eu nas noites de luar,
ou nas amenas manhãs
quando o sol nas suas águas se aconchega,
lá vou para recordar o que da alma deixei
de quando tuas águas por mim passaram,
o quanto do meu sentir levaram.
                                                             
Este é o rio da minha terra
que guarda as lágrimas dum povo
que perde quantas almas no mar
e leva essas saudades
para onde a atroz desgraça aconteceu.
És o aconchego da tosca tripeça para o branqueio
da roupa dum povo de trabalho,
de anseio, de alegria, de fraternidade.
Sempre cantarei junto das tuas águas,
porque sei que guardas minhas lágrimas,
meus anseios, minhas saudades;
cantarei com terno abraço,
porque sei que guardas minhas alegrias,
minha felicidade tida.

 Valdemar Muge

Saturday, June 17, 2017

PROCURO









Porquê que não amei tanto como queria, 
tanto como desejava?
- Se assim tivesse sido como esperava,
seria uma infinita alegria,
uma felicidade infinda alcançava!
Porquê que não encontrei todos esses vossos sorrisos,
vossos afetos, esses vossos carinhos?
Quantos ainda não me abraçaram,
quantos ainda não me suavizaram,
esse mar imenso de ternura...
que bela seria essa ventura!
Que me perdoem esse tanto que falta,
porque esse desejo comigo anda de tudo querer amar...
Nos caminhos a percorrer, floridos ou agrestes,
nos rostos que por mim passam,
procuro na criança que quanto querem amar,
os sorrisos inocentes que ainda faltam desabrochar;
procuro no amigo, as palavras de afeto que ainda faltam partilhar;
nas amizades, os corações fraternos de paz e alegria;
na essência de cada ser,
o amor que possa brilhar em cada coração!
Procuro e sempre continuarei a procurar,
essa felicidade desejada.
Procuro esse sublime encanto da vida,
que ainda me falta completar,
para então cantar que amei tudo quanto queria. 
Mas a vida também tem quanta dor e sofrimento,
e esses sentidos quando encontrados,
os suavizarei com o amor alcançado, 
esses corações destroçados.
Enquanto assim não acontecer,
serei prisioneiro do destino deste meu querer.
Quando então, tudo estiver consumado, ( se assim acontecer ),
serei livre, serei como o vento, como brisa, como o amor!
serei um ser mais feliz, um ser que resplandeceu à vida.
Abraçarei então todos os sorrisos, os afetos, as amizades!...
com eles, navegarei na suave brisa do amor,
e espalharei entre todos os seres,
esse calor de felicidade, essa mensagem de paz!

 Valdemar Muge

Saturday, April 01, 2017

SÓ O TEU AMOR QUERO LEVAR


Quando as águas das fontes que me suavizam,
e as do mar que me deleitam;
quando o frescor das rosas que me encantam,
e a carícia dos sorrisos dos rostos
que por mim passam,
tiver que um dia tudo isso deixar,
com a saudade ficarei,   
porque esses sentidos amei!...
então, apenas só, o amor desse sentir quero levar
com os vossos sorrisos, para o acarinhar!
Quando um dia não poder ver a criança a rir na rua,
e dizer bom dia a quem na rua passa;
não poder escrever meu sentir para todos vós,
e partilhar a felicidade de todo o meu viver!...
ficarei sim, com a eterna saudade de vós,
mas levarei esse amor que existiu dentro de mim,
porque meu desejo foi assim!

Para ti, amor! :
Quando um dia não mais vir as gotículas
da chuva nas pétalas das flores;
a luz, não resplandecer no teu rosto;
ao luar, não sonharmos nos nossos corações;
os carinhos não pousarem nas nossas palavras;
a essência dos nossos corpos não se poderem abraçar,
ficarei com a eterna saudade de todo este amar!...
mas só, apenas só, o teu amor quero levar
com o  teu carinho, para sempre o abraçar!

E para todos vós, direi! :
 Quando um dia, já de pé,
não poder cantar a liberdade,  
a verdade, a justiça e a concórdia;
quando vir os corações a rasgarem-se
de dor e sofrimento,
e as bocas trémulas de fome;
os olhos inundados de lágrimas
das desgraças dos maldosos viventes,
e a paz ser destroçada,
e eu nada poder fazer,
então, sei que vou!...
e irei com a saudade  de tudo isso que deixei,
( sem solução, porque não a encontrei…)
porque aqui não fico nem sou,
mas apenas só quero levar
o vosso amor que me foi partilhado,
porque jamais esquecerei
que também fui acarinhado!

 Valdemar Muge

AVÉ MARIA



Avé Maria, senhora minha, mãe protectora.
Ó cheia de graça,
mãe de Deus, imaculada senhora.
Bendita és tu, entre as mulheres,
o que de nós seria,
sem tua divina protecção,
sem o excelso amor de teu coração.
Avé ó luz resplandecente,
fiel guardadora da minha alma,
amparo divino de meu sentir:
de afecto, de amor, de paz na vida ter
neste vosso humilde ser.

Santa Maria, mãe de Deus,
ó mundo vieste para a paz permanecer;
ó mundo vieste para o filho de Deus aqui nascer;
ó mundo vieste para o amor resplandecer
nos corações dos povos irmanados.
Avé santa Maria,
és mãe da harmonia, da bondade, da paz;
mãe sofredora, mãe da dor,
da dilaceração junto à cruz de teu filho!
Dolorosa senhora,
que teu filho tiveste para ao mundo o entregar
e mostrar o sublime amor entre os povos!
Ó mundo O tiveste para a verdadeira Vida renascer,
porque Ele é Luz, é Verdade, é a ressurreição da Vida!
Maria, és a serva da humildade, 
da misericórdia, da redenção da humanidade!

Avé ó cheia de graça, rogai por nós, pecadores,
para que tua graça,
nos ilumine neste caminhar peregrino que percorremos,
e as tuas lágrimas derramadas no calvário de teu filho,
se transformem em sol de amor
e de concórdia entre os povos,
seus protegidos e pecadores.

 Valdemar Muge

Sunday, March 19, 2017

PRIMAVERA



Amanhã quero estar contigo, primavera!
Percorrerei os campos da natureza, renovenescidos;
receberei a beleza das flores, partilhando-a;
abraçarei o brilho do sol, afagosamente;
ouvirei o cântico das aves, o guardarei;
terei os sorrisos de felicidade das crianças,
da mocidade,
de todos os seres que te abraçam, primavera;
terei a alegria da vida,
o hino universal do Renascer!

Amanhã quero estar contigo, primavera,
para te dizer como sou feliz,
para te abraçar,
para te sempre amar!

Valdemar Muge

Saturday, February 25, 2017

PARA VÓS, ESTE MEU SENTIR...

Na vida que vivi,
apanhei mar que me sussurrava,
luz solar e luar que me enamorava;
apanhei vossos afectos partilhados
e quanta alegria envolta de felicidade;
apanhei paz, harmonia, encanto, amor,
mas também quanta dor que a vida tem!
Foi regaço grande que juntei, guardei,
e depois o espalhei no meu viver
em poesia sentida para todos vós.

Se vires a ave da amizade por ti passar,
chama-a: ela leva versos do meu sentir;
se sentires a fresca aragem
ou o vento da suave ternura,
apanha-os, e ouve a sua voz:
que eles te dirão o que para vós escrevi.
É com essa aragem
e esse vento cravado no meu peito,
que com o poder da poesia me transformo,
e vou no pássaro da amizade,
espalhar para todos vós, este meu íntimo sentir,
florindo primaveras,
onde vossos corações querem a felicidade.

Moldei minha alma com os vossos sentidos,
embelezei-a com as flores que a natureza me deliciou
e alegrei-a com a vossa amizade...
agora, vou aspergindo
deste rio de sentidos que em mim corre,
gota-a-gota no renascer de cada dia,
em cada vida querida.

Valdemar Muge

Saturday, February 18, 2017

QUE IMPORTA


Que importa se a calçada do caminho a percorrer,
seja dura e faça dor,
se nela, vou recebendo
os vossos sorrisos de fraternal carinho
e simpatia, e até de amor.
Que importa se as palavras do maldizente
ferem os sentidos,
se ao lado está a verdade para desmentir,
dos verdadeiros e amigos queridos.
Que importa a tristeza em nós permanecer,
os sentidos angustiosos e de dor, habitarem,
se mais além,
sempre nascerá a luz da alegria e da felicidade
para os nossos corações,
recompensa bela que a vida tem.

Mas importa destruir a maldade,
o ódio, a insensatez viciosa!
Importa destruir a fome, a miséria, as guerras,
e construirmos a paz, a concórdia, o amor;
semearmos searas e desfrutar de trabalho em cada ser;
construirmos as palavras de fraternal carinho
e colhermos as rosas à nossa volta,
para numa mão termos o pão e na noutra uma flor!...
Então, pelo caminho de pedras duras e degraus de dor,
espalharemos as rosas colhidas e os afectos partilhados.


 Valdemar Muge